janeiro 23, 2017

O Movimento Empresa Júnior

O movimento surgiu na França, com o intuito de incentivar a qualificação dos universitários. Em uma época em que a Europa não estava bem, as empresas formadas por alunos universitários forma uma das soluções encontradas pelo governo para a melhor preparação dos futuros profissionais. As empresas juniores têm o objetivo de aliar a prática à teoria de forma com que o estudante entre no universo do mercado e se acostume a gerir e fazer parte de um negócio.

Diferentemente de outros projetos de extensão, a empresa júnior se destaca pelo fato de estar diretamente relacionada com a inserção do profissional no mercado de trabalho. Um verdadeiro negócio gerido pelos estudantes, que aprenderão a lidar com clientes, gerir a empresa, lidar com os problemas práticos do mercado, etc.

Enquanto a Brasil Jr. é a federação responsável por coordenar o crescimento do MEJ em âmbito nacional, em Pernambuco, o movimento Empresa Júnior é coordenado pela FEJEPE que, além de incentivar e ajudar diversas empresas juniores, também é responsável pela regulamentação estadual das empresas. Em Pernambuco, o movimento vem crescendo cada vez mais e se consolidando nas diversas Universidades e Faculdades do Estado. Na Universidade Estadual de Pernambuco (UPE) temos uma das mais importantes empresas juniores, a FCAP Jr, empresa de renome no mercado e já consolidada e conhecida pela qualidade de seus serviços.

Seguindo o movimento e visando a integração do aluno da Faculdade de Direito do Recife com a advocacia, o Bevilaqua surgiu como a primeira empresa júnior de Direito de Pernambuco, de forma a preencher uma enorme lacuna presente entre o estudante do ordenamento jurídico e o mercado da advocacia privada.

Assim, não só criou-se um movimento contrário à eterna “safra de concurseiros” da FDR, como também foi dada a oportunidade para o aluno entender melhor o mundo do empreendedorismo, tornando-se assim um profissional preparado para os desafios do mercado de trabalho.

images
fejepe